TripAdvisor Traveler's Choice Award 2013 de melhor hotel da Colômbia

O site Trip Advisor recentemente divulgou o seu Traveler’s Choice Awards para 2013 de melhor hotel da Colômbia, baseado nas suas 75 milhões de avaliações de viajantes. O Lancaster House foi o vencedor nas categorias Serviço ao Cliente e Popularidade, e foi classificado como o 16° em toda a América do Sul.

LEIA MAIS MENOS

O Chefe Tunisiano exibirá a autêntica comida árabe.

Rhiad Chiss é um dos jovens chefes mais conhecidos do norte da África e chegou à Colômbia.

Chiss mal chegou aos 30 e já trabalhou nos melhores hotéis da Tunísia, França, Emirados Árabes e Austrália. “Dedico minha vida à cozinha desde que tinha 17. Uma coisa boa desta profissão é que não há restrição de idade”.

RESERVAR AGORA LEIA MAIS MENOS

Quando ele tinha 11, observava sua mãe e avó na cozinha. Segundo suas palavras, ele tem uma memória fotográfica e conseguia repetir as receitas conforme ele as havia visto sendo preparadas.

Para este chefe tunisiano, a comida árabe é muito diversa. Ele disse que a comida libanesa e saudita são as mais comuns em nosso país, mas nos lembra que há mais de 27 países árabes no mundo e cada um tem o seu sabor próprio.

“Tunísia e Marrocos são vizinhos, mas a comida é diferente. A comida marroquina mistura o doce com o salgado, enquanto a comida tunisiana é mais picante e usa mais ervas”, diz Rhiad.

Quando terminou o segundo grau ele foi para o curso de hotelaria. Ele começou a trabalhar imediatamente em hotéis na Tunísia e, em seguida, foi para restaurantes e hotéis de luxo em Marselha (França). A comida tunisiana é muito influenciada pela cozinha francesa devido à sua proximidade geográfica.

Depois ele retornou à Tunísia e seguiu para Dubai (Emirados Árabes Unidos) em um dos hotéis da London Tulip, que faz parte da famosa rede de hotéis holandesa, com mais de 200 hotéis em 40 países. Por fim ele viajou à Austrália onde trabalhou na Embaixada da Tunísia em Canberra.

Devido às suas viagens e seus contatos. Rhiad não conhece apenas comida árabe, sua especialidade, mas também se sobressai na cozinha francesa, coreana, japonesa e indiana.

Embora Chiss tenha viajado por todo o mundo, é curioso que ele tenha vindo à Colômbia depois de ter um emprego tão bom na Austrália.

No entanto, o motivo que o mantém no país não é nem a viagem nem a cozinha, mas o amor.

Rhiad conheceu uma dentista colombiana pela Internet e eles se encontraram mais tarde em Canberra (Austrália) quando ela participava de uma convenção internacional de odontologia e eles decidiram se casar imediatamente. Eles se mudaram para Bucaramanga e estão vivendo em Bogotá desde o começo do ano.

Uma vez que ele tem experiência em trabalhar em hotéis de luxo, Rhiad aproveitou a sua estada em Bogotá para se juntar à equipe do Lancaster House, que recentemente recebeu o prêmio Traveler’s Choice Award de 2013 nas categorias de Serviço ao Cliente e Popularidade, e está classificado como 16º melhor hotel de toda a América do Sul. A premiação foi dada pelo Trip Advisor, o site de viagens mais popular do mundo e com a melhor reputação na indústria do turismo, de acordo com a Proexport.

O esforço para ocupar os hotéis na capital

8 de março de 2013 – EL TIEMPO

RESERVAR AGORA LEIA MAIS MENOS

A ocupação média caiu em 4,5 pontos de 2011 a 2012. O número de hotéis

cresceu 14,1%.

Sem um centro de convenções para mais de 1.500 pessoas e com um número de quartos que cresceu duas vezes mais do que a demanda, o nível de ocupação caiu em Bogotá de 62,96% para 58,38% de 2011 a 2012.

“Houve uma falta de equilíbrio ente a oferta e a procura”, confirmou Juan Leonardo Correa, presidente da Associação Colombiana de Hotelaria e Turismo (Cotelco), referindo-se às estatísticas, segundo as quais o número de visitantes aumentou 6,53%, enquanto o número de quartos de hotel cresceu 14,1%.

Embora haja muitos quartos de hotel, “por conta da falta de um bom centro de convenções, a cidade perdeu a oportunidade de hospedar eventos como o Congresso Latino-Americano de Microbiologia, o Fórum Latino-Americano de Transporte Aéreo e a Olimpíada Internacional de Matemática”, explicou Alexandra Torres, gerente executiva do Bogotá Conventions Bureau.

Torres lembra que essa deficiência será reduzida, em parte, em 2015, com a inauguração do Centro de Convenções Ágora, um prédio de cinco andares conectado à Corferias, com uma área de 6.500 metros quadrados que terá capacidade para 4.000 pessoas. Desta forma, garante ela, será possível atrair eventos como o Congresso Mundial de Ginecologia, que pode ter até 8.000 participantes, em 2016.

Outro problema da capital, que não permite que seus hotéis fiquem lotados, é a concentração em áreas como a de Conferias, o aeroporto e o Parque 93. “Grande parte desse boom é alavancado pelo interesse das construtoras em ganhar dinheiro, mas sem conhecimento do setor hoteleiro”, afirmou Erick Trujillo, gerente do Lancaster House Hotel, situado na parte norte, que prevê uma crise caso as construções continuem.

“A nossa taxa de ocupação cresceu de 72% em 2011 para 74% no ano passado”, concluiu Trujillo, que espera que o Lancaster House continue a crescer em 2013. O objetivo é chegar aos 76%.

Por outro lado, Ana Ofelia González, gerente do Hotel Estelar de la Feria, admitiu uma diminuição na ocupação. “Passamos de 68% em 2011 para 66% no ano passado”, informou. Em sua opinião essa queda foi o resultado de um excesso na oferta, após a chegada de grandes redes hoteleiras como a Wyndham e a Tryp.

González afirmou que muitos hotéis, novos e pequenos, oferecem preços muito baixos, o que forçou o Estelar de la Feria a abaixar os seus preços em 10% (eles estão próximos a 200.000 pesos colombianos).

“O aumento da oferta faz com que seja necessário dividir o bolo”, disse, e acrescentou que 900 quartos serão construídos até 2015. Uma questão que não passa despercebida entre as causas da diminuição da ocupação nos hotéis é a taxa de câmbio. Quando o dólar valia 2.800 pesos colombianos, nós éramos mais atrativos, mas agora a 1.800, nem tanto”, afirmou María Patricia Guzmán, gerente executiva da Cotelco (escritório de Bogotá-Cundinamarca).

Fazer parte de uma rede hoteleira ajuda.

Os hotéis de marcas internacionais que se estabeleceram no país têm certas vantagens que mantêm as suas ocupações altas.

“Temos a vantagem de fornecer não apenas quartos, mas também salas de conferências, o que agrega valor. Também temos o suporte de um nome reconhecido e um sistema de reservas que nos envia hóspedes”, disse Luis Perillo, gerente do Hilton Bogotá .

Este hotel, no centro financeiro da cidade, não divulga suas taxas de ocupação, mas Perillo afirma que o crescimento foi maior que 25%, acima da meta que eles haviam estabelecido.

“Os americanos preferem hotéis de marca; eles vão para onde conhecem”, disse Ana Romero, gerente do Hotel Estelar la Fontana. Ela acrescenta que a cidade de Bogotá é promovida nos 24 hotéis da rede Estelar no Peru, Colômbia e Panamá.

De acordo com Luis Fernando Rosas, diretor do Instituto Distrital de Turismo (IDT), a promoção além das fronteiras é necessária, como a organizada neste ano naFitur em Madri e na IBT em Berlim (Alemanha). “Bogotá já fez parcerias para se promover com Quindio e Cartagena, e logo fará o mesmo com Medellín”, ele confirmou.

  • JUAN URIBE
  • ESCRITOR DO EL TIEMPO

Festival Árabe

1º de março a 30 de abril

RESERVAR AGORA LEIA MAIS MENOS

No Restaurante Bistro 106, de 1º de março a 30 de abril, você poderá desfrutar das especialidades árabes do chefe Riadh Ghiss.

Cada prato custa 25.000 pesos colombianos

Serviço: das 12:00 às 15:00

Peixe: samka Harra, fatuch, arroz árabe e batata à francesa

Frango: pratos árabes mistos, bruschetta de shish taouk, falafel, fatuch, arroz árabe e batata à francesa

Carne: ain sbanyouriya, carne moída recheada com ovo